Startup gamifica pesquisas que analisam o clima organizacional do ambiente de trabalho

02.05.2017 // Regina

Quem gerencia uma empresa, seja ela grande ou pequena, tem diversas preocupações em mente. Normalmente, ligadas a problemas burocráticos e operacionais. Mas há um ponto importante que o gestor corporativo jamais deve esquecer: o bem-estar dos funcionários. Para mensurar o que é chamado de Clima Organizacional de uma empresa, existe a Pesquisa de Clima Organizacional (PCO), que é realizada pelo setor de Relações Humanas. A Leif Mobility, incubada no Instituto Gênesis desde 2016, criou o People Pulse, uma ferramenta para auxiliar a análise da relação entre o funcionário e o meio de trabalho.

A Pesquisa de Clima Organizacional é voltada para o ambiente interno de trabalho. A partir de um questionário, o RH mapeia os aspectos que determinam a motivação dos funcionários da empresa. Essa é a maneira de entender o grau de satisfação e motivação das equipes e detectar como a empresa valoriza os funcionários e os esforços para que trabalhem de maneira satisfatória e agradável. O People Pulse faz o mesmo mapeamento, mas a partir de uma nova abordagem. Breno Pulcheri, fundador da startup, explica que ao invés de realizar a pesquisa uma vez ao ano, o produto permite que a empresa faça uma abordagem constante, transparente e gamificada. A plataforma pode ser utilizada em aplicativos, nos sistemas operacionais android e IOS, na intranet da empresa ou pela internet.

Atualmente, a Leif Mobility tem como cliente uma empresa petrolífera e personaliza o People Pulse para ser usado em atividade offshore, ou seja, atividades realizadas em alto mar. Mas o intuito da startup é padronizar o aplicativo, para que ele seja vendido com uma mesma base para todos os clientes. “Não dá para personalizar tudo, porque personalização completa não vale a pena”, diz Breno. Para a empresa petrolífera, o People Pulse fica em um dispositivo android fixo no barco. Essa estratégia foi a melhor, já que o uso de celulares e internet em alto mar são restritos. Diariamente, o funcionário responde a uma pergunta, separada por categorias, e isso gera um relatório diário, enviado ao gestor do departamento. O resultado permite a avaliação geral da empresa em várias esferas, como segurança no trabalho, liderança, etc.

A Leif Mobility chegou ao Gênesis para trabalhar seu B2B, ou seja, a transação comercial entre empresas. Segundo Breno, “É importante ter a startup incubada, para participar de editais, por exemplo. Agora, com a empresa se estruturando melhor, vamos utilizar ainda mais os serviços que o Gênesis oferece”, diz ele.

Como dica para futuros empreendedores, Breno diz para se avaliar o que é mais importante no negócio e ter em mente que não existe nenhum profissional salvador. “O empreendedor nunca vai ter solução para tudo da empresa. Se ele não tiver o profissional técnico, ele vai ter problemas técnicos. Se não tiver o profissional de marketing, vai ter problemas comerciais. Quando se tem uma equipe pequena, você não vai poder fazer várias coisas que não fazem parte do seu talento e conhecimento. E você não vai achar um único profissional que vai resolver todos os seus problemas”, diz ele. Outro ponto levantado por ele é a importância de se testar o produto da empresa. “Estruturar bem o produto para começar a vender e testar antes de perder tempo, isso é fundamental”.

Texto de Regina Iack