Secretaria de Cultura e Instituto Gênesis da PUC-Rio promovem encontros que discutem soluções para fomentar o mercado musical

03.04.2017 // Regina

Em março foi realizado o segundo encontro do Plano de Resgate da Música ao Vivo no Estado do Rio de Janeiro, na Sala Cecília Meireles, Lapa. O debate, que será realizado ao longo de quatro meses, tem o objetivo de pensar em soluções para os desafios que o setor musical enfrenta e, a partir disso, elaborar propostas que serão enviadas para instituições, empresas, governos, universidades, associações e sindicatos. O próximo encontro será no dia 18 de abril e nesse intervalo serão realizados debates regionais na Baixada Fluminense e em outras regiões do Estado, com o apoio do Conselho Estadual de Cultura.

O Secretário de Estado de Cultura, André Lazaroni, esteve presente no segundo encontro e falou sobre a contradição entre a importância da música para o estado e a falta de atenção que ela recebe.  De acordo com ele, “o poder público leva a cultura no último vagão do trem”. O Instituto Gênesis trabalha em parceria com o projeto visando o fomento do mercado musical, que faz parte da economia criativa do estado. Julia Zardo, gerente de cultura empreendedora do Gênesis, fez parte da mesa do evento e falou sobre a importância de transformar as profissões ligadas à música em atividades economicamente sustentáveis.

O encontro discutiu modelos de apoio a palcos de pequeno e médio porte, que estão desaparecendo das cidades, o resgate da consciência musical, políticas para a música em outras cidades e países, entre outros temas propostos. Ao final do encontro, foram organizados dez grupos de trabalho para se pensar em soluções dentro de temas específicos: Fomento a empreendimentos, financiamento e captação de recursos, legislação, tributação, editais e premiações, ensino e pesquisa, plataformas de comunicação, critérios para definição de palcos de pequeno e médio porte, incentivo à inovação tecnológica e formação de plateia.

Sob coordenação de Leonardo Feijó, coordenador de Música, o primeiro encontro do Plano de Resgate da Música ao Vivo no Rio de Janeiro aconteceu em dezembro de 2016, com o lema “Mais palcos, mais oportunidades, mais música”. Gestores de espaços musicais, produtores, artistas, associações, gravadoras, entre outros profissionais da área, debateram por três horas o cenário musical do estado.

Texto de Reina Iack

  • TAGS