Bem-vindo à Biblioteca Digital do Instituto Gênesis. Aqui você encontra artigos e publicações, relacionados a área de empreendedorismo e inovação, produzidos pelos pesquisadores associados, co-ligados e colaboradores do Instituto Gênesis. Nosso acervo está disponível com o objetivo de contribuir para a difusão da cultura empreendedora no país.

Planejamento Gerencial com o auxílio do pensamento radial: o uso de mapas mentais na incubadora social de comunidades da PUC/RJ

01.01.2015
Autor:
Catia Araujo Jourdan e Leonardo de Jesus Melo
Local da Publicação:
Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Resumo:
O pôster apresenta a experiência da Incubadora Social de Comunidades do Instituto Gênesis da PUC/RJ no uso de mapas mentais - um tipo de diagrama que organiza e explora idéias a partir de um núcleo central que se expande em infinitas ramificações - para o planejamento gerencial de suas atividades. Sua principal contribuição gerencial reside na apresentação de elementos reais (aplicados) acerca de uma ferramenta ainda pouco difundida, apesar de extremamente atual e útil no contexto da sociedade do conhecimento e das incubadoras de empreendimentos inovadores.

Meu Futuro Negócio: Formação Complementar Universitária em Empreendedorismo Inovador

01.07.2014
Autores: Julia Bloomfield Gama Zardo, Ruth Espínola Soriano de Mello, José Alberto Sampaio Aranha, Alberto Eduardo Besser Freitag e Daniela Longobucco Texeira Balog.
Resumo: Este trabalho objetiva contextualizar e documentar como a iniciativa “Meu Futuro Negócio”, promovida pelo Instituto Euvaldo Lodi do Rio de Janeiro (IEL-RJ) da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e o Instituto Gênesis da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), promoveu uma integração do mundo empresarial com os universitários, através da formação e do aprimoramento no campo do empreendedorismo inovador desenvolvendo aspectos vivenciais, comportamentais e técnicos de geração e fomento de negócios inovadores. A metodologia descrita ao longo do texto consiste em realizar encontros
que reúnam alunos e professores da PUC-Rio, investidores e empresários. Ao final do processo, os alunos enviam ideias empreendedoras que são analisadas e premiadas dentro do contexto da parceria institucional. Quase 400 alunos já participaram da iniciativa que gerou mais de 40 planos de negócios em dois anos.

Analysis of the Program Inove Business & Careers

01.04.2013
Autor:
Julia Bloomfield Gama Zardo and Ruth Espínola Soriano de Mello.
Local da Publicação:
Londres, Inglaterra. Artigo aprovado para publicação Triple Hilex 2013, sem apresentação presencial.
Resumo:
The history reveals that universities are configured and operated in different modes according to different arrangements - historical, cultural and socioeconomic - in which they are inserted. Since its emergence in Europe, between the eleventh and the twelfth centuries until the nineteenth century, the university fulfills its social function to produce, disseminate and preserve knowledge, characterized as an institutional agent of knowledge transmission.

Nevertheless, at the end of the twentieth century, the globalization; the condition of a more open and competitive society; the rapid expansion of knowledge; the exponential technological advancement and the social demand for a more active position of universities in the process of economic and social development, revealed challenges which required changes in the academic institutions.


Rio Cidade Criativa: Economia Criativa e Ambientes para o Desenvolvimento

01.03.2013
Autor: Julia Bloomfield Gama Zardo e Ruth Espínola Soriano de Mello. Resumo: A percepção crescente da existência e valorização de iniciativas de promoção de ambientes que concentram fatores de estímulo à inovação produtiva, cooperativa e criativa enseja a discussão deste trabalho. Apresenta-se o contexto atual do Rio de Janeiro e o histórico do conceito da economia criativa, visando assim contribuir com a análise dos processos de desenvolvimento de regiões e comunidades, com foco nas redes, na cooperação, no capital social e na valorização dos aspectos culturais locais. A revalorização da esfera local como foco de ação para implementação de instituições e políticas é a estratégia apresentada para um processo de desenvolvimento e observação de novos ambientes produtivos, de inovação e criativos que tenham real impacto sobre a qualidade de vida e o desenvolvimento cultural, social e econômico de uma região.

Modelos de Incubadora

01.01.2013
Autor:
José Alberto Sampaio Aranha
Local da publicação:
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Resumo:
Após definir as incubadoras segundo a UN-ECE, a NBIA e a ANPROTEC, o autor pretende apresentar vários critérios distintos utilizados por diversos autores para classificar as incubadoras, tais como instituições líderes, objetivo estratégico, localização, modelo operacional, tipo de empresa e foco. Em uma perspectiva mais objetiva, o autor apresenta os diferentes conceitos de incubadoras e dá bons exemplos, retirados de incubadoras no mundo todo, para todo tipo de classificação apresentado. Esses exemplos tornam este trabalho uma boa referência global para os leitores que desejarem saber mais sobre os conceitos de incubação de empresas.

Por exemplo, após descrever uma incubadora corporativa de negócio como um tipo de incubação de empresas relacionado a uma instituição de liderança, o autor exemplifica seu trabalho com o Programa de Incubadora Tecnológica da Petrobrás, no Brasil, que é “uma incubadora corporativa tecnológica que promove ambientes flexíveis onde são oferecidos diversos recursos para criar e fomentar novos negócios” (p. 4).


Rio Criativo – Incubadora de Empreendimentos da Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro: Análise Crítica da Universidade Empreendedora Executora de Política Pública

01.01.2012
Autor:
Julia Bloomfield Gama Zardo e Ruth Espínola Soriano de Mello
Local da publicação:
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Resumo:
O presente artigo trata do processo de concepção, modelagem e implementação do projeto “Rio Criativo - Incubadoras de Empreendimentos da Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro” enquanto iniciativa de parceria entre governo, universidade empreendedora e novos empreendimentos da economia criativa. O objetivo do artigo é analisar crítica e sugestivamente a dinâmica de uma iniciativa governamental em parceria com uma universidade empreendedora quando da geração de políticas públicas de fomento a empreendimentos inovadores no campo das indústrias criativas.

Análise da construção de uma rede de empreendedores criativos no Rio de JaneiroBrasil, a partir da implementação de um projeto de incubadoras de empreendimentos criativos.

01.08.2011
Autores:
Julia Bloomfield Gama Zardo, Erica Bordinhão Lewis, Ruth Espínola Soriano de Mello
Local da Publicação:
Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Rio Criativo: caso da Incubadora de Empreendimentos da Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro

01.06.2011
Autores:
Julia Bloomfield Gama Zardo, Ruth Espínola Soriano de Mello, Vanessa Eleutheriou
Local da Publicação:
Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Analysis of the construction of a network for creative entrepreneurs in Rio de Janeiro/Brasil, from the Project implementation of creative enterprise incubators

01.06.2011
Autores:
Julia Bloomfield Gama Zardo, Erica Bordinhão Lewis, Ruth Espínola Soriano de Mello
Local da Publicação:
Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Tecnologia Social e economia solidária e as possibilidades de inserção soberana na economia

24.09.2010
Autor:
Ricardo F. de Mello e Ruth E. S. de Mello
Local da Publicação:
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Resumo:
Este artigo buscou discutir questões derivadas da proximidade entre as teorias circunscritas à economia solidária e o papel da tecnologia social em um contexto em que esta agregaria à economia solidária uma maior concretude, elemento importante considerando o caráter utópico dos seus princípios. A sinergia entre ambos os campos do conhecimento são claras e também variadas. Iniciativas são apresentadas e agrupadas de modo a possibilitar a formulação de questões temáticas em torno de teorias circunscritas à tecnologia social e economia solidária. Ditos agrupamentos identificam a tecnologia social em empreendimentos econômicos solidários sob a ótica da inovação e soluções técnicas; da organização e desenvolvimento comunitário; e da participação popular e controle social da esfera pública. Tal enfoque é precedido por ponderações sobre o lugar que a tecnologia tem na agenda dos agentes da economia solidária brasileira.
| 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 |

PALAVRA-CHAVE

FILTRAR POR CATEGORIA